domingo, 26 de dezembro de 2010

Enfim, banda larga para Manaus

bandalarga oi velox

A Oi – empresa de telecomuncações, – está a anunciar a comercialização de serviço de internet banda larga em Manaus a partir do dia 03 de janeiro de 2011.

Atualmente, vivemos sob o monopólio da “skavusca“. E como sabemos, monopólio é sinônimo de exploração. Por uma conexão de 1 MB, pago mensalmente R$ 139,00, isso por ter optado pelo combo ultramegapowerhd. Se contratasse apenas o serviço da internet, desembolsaria por essa mesma conexão a imoral quantia de R$ 299,00.


Vamos aguardar que a Oi pratique preços civilizados como a GVT, empresa que, por enquanto, somente presta serviços no sul do País.



gvt.jpg

Comentários algumas coisas a considerar:

1°) Banda larga em alguns países menos exigentes somente é considerada se for no mínimo de 1 megabits por segundo. Para a Onu é entre 1 a 2 e na FCC nos Estados Unidos o mínimo é de 4 megas;
2°) No plano de um mega (o máximo disponível na maioria das cidades com a cobertura da Oi) não deveria ser considerado nem banda larga, por que 1 Mbps dessa empresa nunca ultrapassa em hipótese alguma os 800 Kilobits por segundo, fora a má qualidade do atendimento e do próprio serviço que será franqueado a partir do final março de 2011;
3°) Nem todos os clientes de linha telefônica poderão usufruir do serviço, pois o mesmo geralmente é ofertado a bairros próximos a centrais principais da empresa, já que há um limite máximo de distância de cabeamento de cobre entre a central e o cliente e nem todas as centrais estão com o DSLAM que é o equipamento da tecnologia Adsl que na fica central e disponibiliza as portas nas linhas;
4°) A tecnologia Adsl na sua primeira versão foi criada em 1999 e já era possível navegar até 8 megas e Adsl2 criada em meados 2003 até 12 megas e Adsl2+ criada em 2005 até 24 megas, qualquer velocidade abaixo de 8 megas é tecnologia subutilizada com quase 12 anos de existência.
5°) O que muda na verdade é que antes as comunicações até Manaus pela Oi eram feitas totalmente por satélites, o que custa muito caro, são conexões lentas e muito instavéis em relação a fibra ótica. Isso era assim porque a região amazônica é muita isolada e de difícil acesso para a instalação de cabos o que encarece muito a obra de instalação, por isso do atraso. Acontece também é que nem todas as cidades possuem fibra, quando não, é utilizada a tecnologia de microondas que são repetidas e reutilizadas em várias cidades pelo caminho até chegar em um destino final, mas isso só é possível em regiões mais abertas com cidades próximas uma das outras para que o investimento seja viável. Que fique bem claro que a comunicação da central de Manaus até o consumidor final não será feito por fibra e sim por cabo de cobre dos quais já estão instalados lá há muitos anos o que muda é tecnologia de comunicação da cidade ao restante do país que passará a ser por fibra via venezuela e dará uma volta muito grande no país pela costa por cabos debaixo do mar até chegar a central geral da Oi no Rio de Janeiro e em Fortaleza a parti daí é que se dará a comunicação com o restante do País;
6°) De forma equivocada em que o site original divulgou em que a Gvt somente prestava serviços no sul país, na verdade ela Atua em vários estados inclusive no Nordeste, em cidades como Salvador, Recife, Campina Grande, Fortaleza e muitas cidades também do sudeste e do interior de São Paulo e do Centro-oeste além do sul é claro que possui sua presença mais marcante.


Nenhum comentário: